domingo, 17 de fevereiro de 2008

Nesta rua da vida


Numa rua escura, ando sem rumo e nem destino,

as pedras me fazem tropeçar e

buracos me lançam ao chão.

Nesta rua não vejo saída e sem saber o que fazer,

continuo caminhando mesmo com vontades e desejos,

busco um lugar ao sol.

Não importa o tempo que leve, nesta rua continuarei e

se uma saída não encontrar, nesta rua irei me eternizar.

TSR 2008

Postar um comentário