segunda-feira, 7 de setembro de 2009

"Frequentemente somos nossos inimigos."

Imagine ter de chutar uma bola a uma distância a qual consideramos-nos desprovido de força para alcança-la, vá mais fundo e pense que esse chute poderá definir uma partida que falta pouco mais de dois segundos para términar e que a vitória não será apenas sua, mas de toda sua equipe, continue além e sinta o que sente o treinador naquele momento onde um único lance pode consagrá-lo como o melhor ou talvez desmotivá-lo de vez pelo desânimo de todos aqueles que nele confiavam. Todos temos desafios, alguns pequenos e outros grandes, mas todos superáveis a partir do momento em que paramos, olhamos e os desafiamos sem o medo de errar ou de ser julgado como incapazes ou simplesmente sonhadores.