sábado, 30 de março de 2013

Fuga do medo.

   Sentimos medo do escuro, pois no escuro nos desligamos da matéria e tornamo-nos vulneráveis ao abismo de pensamentos que nos rodeiam, quando bate a insegurança pela sombria escuridão chamamos por algo ou por alguém, nos encolhemos como forma de auto proteção ou simplesmente acendemos uma lâmpada que ilumina o ambiente e materializa tudo aquilo que até então era trevas. Frequentemente as trevas que deixamos fluir em nosso interior deve ser entregue a luz irradiada pelas boas ações de nossa alma para que entendamos como lidar com as divergências em nosso caminho e no caminho de quem cruza o nosso.

domingo, 17 de março de 2013

Fé sem obra é morta, acredite.


   Fulaninho era um menino sonhador, viajava o mundo sem sair da biblioteca de sua escola, brincava com seus amigos nas horas vagas e despertava para um mundo de oportunidades, certo dia chegou a sua escola e a portão estava fechado, toque de recolher, pessoas assustadas e desesperadas ao seu redor, o caos tomou conta e Binho viveu ali a sua pior história, em meio ao apocalipse que acontecia Fulaninho foi acertado no peito e lançado ao chão provavelmente para nunca mais...
    O final pode ser interpretado de diversas maneiras, leia o jornal, ouça notícias e conclua a história. Quando for tomar uma decisão, pense no passado, veja o presente e invista no futuro, forme sua opinião em cima de alicerces seguros, pois pelas nossas vidas passam chances, oportunidades e desafios que se as perdes, talvez não tenha outras.


Persista.

"Muitas vezes os problemas são escadas que devemos vencer degrau a degrau se utilizando das pernas e de sua força que nos permite impulso, do corrimão direito e esquerdo, os quais tem o valor dos verdadeiros amigos e o chão molhado como um desafio a ser superado almejando o sucesso."

terça-feira, 12 de março de 2013

Tomada de decisão


“Mediante resistência em tornar-se prático precisamos aspirar e se inspirar de coisas e situações que nos agregam conhecimento, pois a ferramenta Deus construiu e nos forneceu, já a forma como utilizaremos só depende de nós.”