quinta-feira, 28 de novembro de 2013

Homem máquina, a arte de Deus.

   Ah! Se o Homem fosse uma máquina talvez fosse perfeito, teria um calendário com datas pré-programadas, encontraria respostas mesmo que absurdas para todos os lapsos e propagaria a impressão de que realmente se importa, todavia se o Homem fosse uma máquina não desfrutaria da arte de Deus, tal arte invisível e improvável a mais moderna ciência, pois está inserida na alma, tal arte incapaz de ser tocada ou medida, mas fácil de ser sentida, tal arte propiciadora de um diferencial único em relação às máquinas, a capacidade de amar e o reconhecimento de suas limitações humanas pelo simples fato de ser Homem.